Fotografia – Auto retrato conceitual – Cindy Sherman

Padrão

Cindy Sherman (nasceu a 19 de janeiro de 1954, em Glen Ridge- EUA)  é um dos grandes nomes da arte do século 20. Fotógrafa e diretora de cinema norte-americana,se tornou mais conhecida por seus auto-retratos conceituais. Camaleoa, ela se traveste para ser personagem de suas próprias fotos, cada uma contando uma história diferente, sempre com uma linguagem que é própria da artista. Através de um número diverso de trabalhos,  levantou questões importantes e desafiadoras sobre o papel e a representação das mulheres na sociedade, a mídia e a natureza da criação de arte.

Interessou-se pelas artes visuais no Buffalo State College, onde após tentar, sem sucesso, tornar-se pintora,  voltou à fotografia onde focou-se pelo resto dos seus anos de faculdade. Foi lá que ela fundou, ao lado de colegas, o Hallwalls, um centro de arte contemporânea que existe até hoje em Buffalo.

Em 1977,  ela começou a série que lhe traria fama, produziu imagens em preto e branco intituladas “Untitled Film Still”, que parecem ter sido tiradas de filmes, como cenas congeladas, e a partir daí seus projetos passaram a ser acompanhados pelas galerias e revistas especializadas.

Mais tarde, seus trabalhos começaram a assumir características violentas e mórbidas, inspirados em filmes de terror. A destruição e a decomposição passam a ser a sua imagem de marca.

Entre 1988 e 1990, Sherman passou a reproduzir personagens retirados dos livros de História da Arte, em 1997  publicou seu primeiro filme “Office Killer”, e nos anos 2000 se dedicou aos retratos superirônicos de mulheres estereotipadas da cultura americana, culminando com uma seleção batizada de “Society Portraits“, exposta em NY em 2008.

Ao longo dos anos 80 e 90, com um estilo muito forte e crítico, ela chamou a atenção do mundo da moda, e colaborou com muitas marcas desse universo, incluindo a Comme des Garçons, Marc Jacobs, Jean Paul Gaultier e revistas como a “Vogue” Paris, onde foi publicada, em 2010, uma série de fotos suas usando looks da Balenciaga, o que lhe permitiu tornar-se conhecida internacionalmente. Foi também nesta década (em 1981) que clicou uma das fotos mais caras do mercado de arte, vendida em 2011 por $3,89 milhões na Christie’s, batendo um recorde na época.

Em 2011, virou garota-propaganda do inverno da M.A.C, travestida em 3 versões, incluindo a de um palhaço.

Seus trabalhos encontram-se em exibição em vários museus de todo o Mundo e recentemente foi-lhe atribuída uma bolsa pela MacArthur Foundation.

Agora ela volta à programação cultural de Manhattan com a maior retrospectiva já montada com sua obra. No MoMA a exposição  conta com 170 fotos, incluindo um painel enorme até hoje inédito nos EUA.

Pesquisa:

http://www.infopedia.pt/

http://www.glam4you.com/

http://msn.lilianpacce.com.br/

http://revistacult.uol.com.br/

Anúncios

Sobre Senhoras na Moda - Vanda Panzica

Sempre gostei muito de moda e de criar ou tirar idéias para montar meu próprio look. Com a idade temos que observar mais detalhes que nos ajudem a conservar a elegância, esconder imperfeições, realçar belezas que a idade ainda não apagou, além de nos preocuparmos com looks de custos razoáveis. Senti falta de blogs direcionados à nossa faixa etária e foi então que resolvi criar este, aos 58 anos de idade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s